quinta-feira, 19 de abril de 2012

RELÁTÓRIO-ESTÁGIO DOS ANOS INICIAIS




INTRODUÇÃO 

O estágio de docência em Anos Iniciais foi realizado em uma escola pública na cidade de Salvador-Ba. Foi realizado em dupla, pelas acadêmicas: Ana Paixão da Cruz e Dalva das Neves. Acompanhou-me no estágio, a professora regente do Estágio IV da Educação de Jovens e Adultos, tendo sua formação no curso: Pedagogia.

O Estágio na Educação dos Anos Iniciais Supervisionado é uma exigência da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (nº. 9394/96). O estágio é de fundamental importância, necessário para a formação profissional, com fins de aproxima a teoria com a vivencia em sala de aula, ajustar experiências anteriores com as atuais, às exigida no mercado de trabalho estabelecendo assim um elo entre a teoria e a prática.

O presente trabalho tem por objetivo relatar as atividades desenvolvidas durante o Estágio Supervisionado do curso de Pedagogia – Faculdade Montessoriano de Salvador, 8º semestre, da disciplina Estágio Curricular Supervisionado dos Anos Iniciais, Ministrada pela Professora Marta Alencar, como cumprimento da exigência da Lei. O estágio foi realizado na Escola Municipal..., no período de 09 de abril a 16 de maio de 2012. A realização deste estágio está subdividido em dois momentos: observação (20 horas), pratica do projeto (80 horas), totalizando as 100 horas obrigatórias. 

Este tender fortalecer a relação de estagiárias de ensino, baseado no princípio metodológico de que o desenvolvimento das competências profissionais implica em utilizar conhecimentos adquiridos, quer na vida acadêmica quer na vida profissional e pessoal, este se constitui em importante instrumento de conhecimento, de integração do aluno com a realidade local, social, econômica e do trabalho  área profissional.

Portanto, um passo de cada vez e acreditando sempre que a educação é à base do conhecimento e para um mundo menos desigual, partindo dessa premissa que a educação deve em sua totalidade, informar, construir, analisar, contribuir, resolver, criticar e educar, pois só se é possível ensinar a partir da teoria e as articulações com a prática, provar, participar, elaborar, cumprir, avaliar, errar, acertar, ensinar, aprender, com prazer, estes compõe a pratica docentes.

Dessa forma podemos preparar os alunos para uma melhor aprendizagem, que no futuro bem próximo possam reconhecê-la, este será fruto do trabalho humano, como tal, está sujeito a erros, acertos, modificações e evolução do tempo, em função do uso que se faz dela, sendo mais participativo, critico tanto na escola como na sociedade, transmitindo o real significado do que esta aprendendo. 

OBJETIVOS DO ESTÁGIO
·         Acompanhar e refletir sobre aspectos e/ou concepções presentes no cotidiano educacional em todas as suas dimensões. 
·         Observar e exercer as competências exigidas na prática profissional relativas ao contexto da Educação de Jovens e Adultos.
·         Exercer a docência e outras atividades do Projeto Pedagógico em instituições campos de estágio.
·         Colocar os estudantes em contato com a situações reais de trabalho, através do desenvolvimento de atividades relacionadas a sua área profissional.
·         Integrar equipe e alunos da  Faculdade Montessoriano á proposta de estágio da instituição, permitindo-lhes atuar como Pedagogos, para que possam mediar as ações que se desenvolvem na Escola, e no contexto da sala.

1.0  CARACTERIZAÇÃO DA ORGANIZAÇÃO DA INSTITUIÇÃO E TURMA

1.1  INSTITUIÇÃO    

         
HISTÓRICO DA ESCOLA

A Escola Municipal União Caridade e Abrigo localizada  na Rua Heitor Dias nº02 no bairro da Boca do Rio, tem como finalidade o ensino voltado para a Educação Infantil, Ensino Fundamental I e SEJA. Tendo como entidade fundadora, Loja Maçônica União Caridade e Abrigo dois.

      Criada a quarenta e sete anos e municipalizada a vinte sete anos, ela atender a necessidade da comunidade da Boca do Rio e arredores. A escola oferece um ensino infantil que vai do grupo três até o 3º ano do ensino fundamental, nos turno matutino e vespertino, e no ano de 2001 foi implantado o turno noturno, oferecendo o programa de educação básica para jovens e adultos nos níveis I e II.

A escola estar situada num bairro bastante populoso, da Boca do Rio, atendendo a clientela de classe popular, que na sua maioria e constituída por filhos de operários da construção civil, vendedores ambulantes, lavadeiras, empregadas domesticas, pais desempregados. Uma clientela um tanto quanto carente que deposita na escola suas expectativas de um futuro melhor, tanto do ponto de vista pessoal, bem como, social, cultural e econômica.

A Escola Municipal União Caridade e Abrigo seguem diretrizes, perspectivas e pressupostos orientados pela Secretária Municipal de Educação e Cultura (SMEC), fazendo opção pelas contribuições das correntes Históricas – criticas de educação e pelos fundamentos do construtivismo para alicerçar o trabalho pedagógico,buscando-se fundamentação nas descobertas cientificas da Epistemologia Genética para entender como o sujeito aprende,como se processa a aquisição de códigos de representação e de comunicação que ajudam a operar sobre o mundo,através da aprendizagem da língua,da matemática,da representação espacial,temporal e gráfica e na leitura de imagens,além da formação do sentido moral e da competência emocional para lidar de forma autônoma com os dados do mundo real.
        
1.2 ESTRUTURA FISICA DA ESCOLA

A escola é de pequeno porte e possui em seu espaço fisico, uma area externa descoberta, quatro salas de aula, uma cantina, uma secretaria com banheiro para os professores, dois banheiros, na area junto a cantina, para utilização dos educandos.

Quanto aos recursos materiais eequipamentos, existem duas televisões, aparelhos de DVD, computadores, Impressora, armarios nos quais se armazenam os materiais didaticos, paradidáticos, de limpeza e higiene.

Em relação aos recursos humanos que compoem a instituiçao, uma diretora, uma coordenadora, três professoras, uma cozinheira e auxiliar, dois auxiliares de limpeza, tres porteiros que se revessam em turnos.
A sala de aula na qual realizamos o estágio possui 02 grandes janelas, 01 porta de acesso, quatro lâmpadas fluorescentes, dois armários, uma estante com livros infantis, quadro branco, uma mesa do professor, 30 cadeiras e dois ventiladores de teto.

A decoração das paredes é feita com desenhos, letras, números, cartazes. Essa decoração é feita pela professora em conjunto com as crianças no turno matutino e vespertino.

 1.3 A TURMA

A turma de Educação de Jovens e Adultos, possui dezoito alunos matriculados, mas apenas quinze frequentam regularmente a escola em alguns dias não comparecem todos os educandos.

A faixa etaria é de 18 a 60 anos de idade. A maioria dos alunos reside na area perto da escola ou adjacencias e vem a pé. A regente da sala entrou no mesmo período, pois a antiga professora teve que se ausentar devido a problemas de saúde, para os alunos não ficarem sem aula a coordenadora que aplicava as aulas até a chegada da nova professora.

2.0  FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA (ESTAGIO A RELAÇÃO TEORIA/PRATICA)

A busca por referências que gerem a compreensão da dinâmica do educador na escola publica..., dedica-se na ação do estágio de regência, na educação de jovens e Adultos por acreditar que o educador é o elemento fundam, em tal para proporcionar o que propõe a - Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional - LDB nº. 9.394, de 20 de dezembro de 1996 que estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional, Art. 1º: “A educação abrange processos formativos que se desenvolvam na vida familiar, na convivência humana, no trabalho, nas instituições de ensino e pesquisa, nos movimentos sociais e organizações da sociedade civil e nas manifestações culturais” (MEC, 1996, p. 39).

Segundo Gadotti,  os jovens e adultos trabalhadores lutam para superar suas condições precárias de vida(moradia, saúde, alimentação, transporte, emprego etc.) que estão na raiz do problema do analfabetismo. (GADOTTI, 2008, p.31) Muitos alunos vê a educação como forma de mudar de vida, pois  na infancia não puderam estudar por motivos: pessima condições de vida, interesse da família em matricular na escola e falta de intusiasmo para aprender entre outros.

O professor desempenha um papel de extrema importancia na vida escolar do educando, é nessa relação de diálogo e mediação, realizada por ele, que se permite o aluno o desenvolvimento pleno, o externar de suas proprias vivencias e criatividade. Cabe, pois ao professor mediar esses conhecimentos comuns e organiza-los de forma cientifica, mas sempre buscando meios e metodos que desperte o interesse e o prazer desses educandos na reconstrução e elaboração de novas condutas para a sua vida cotidiana. 

Envolver os alunos em atividades de pesquisa, em projetos de conhecimento; envolver os alunos em suas aprendizagens e em seu trabalho; exercitar o desejo de aprender, explicitar a relação com o saber, utilizar novas tecnologias; explorar as potencialidades didáticas dos programas em relação aos objetivos do ensino; utilizar as ferramentas multimídia no ensino competências fundamentadas em uma cultura tecnológica; enfrentar os deveres e os dilemas éticos da profissão; prevenir a violência na escola e fora dela; lutar contra os preconceitos e as discriminações sexuais, étnicas e sociais; participar da criação de regras de vida comum referentes à disciplina na escola, às sanções e à apreciação da conduta; administrar a própria formação continua. Saber explicitar as próprias práticas; negociar um projeto de formação comum com os colegas (equipe, escola, rede); 

Enfim, estar preparada, informada, facilita o desenrolar das aulas, as transmissões com propriedade dos assuntos ficam claras e sem contar com a cooperação e envolvimento com a comunidade escolar e pais, porque não existe uma cartilha, mas sim um planejamento e as flexibilidades que nele compõe numa aula elaborada pensada, causam curiosidade e interesse nos alunos sendo este o melhor papel do professor. Segundo, Paulo Freire, devemos despertar no educando a consciência de que ele não está pronto, aguçando nele o desejo de se complementar, capacitá-lo ao exercício de uma consciência crítica de si mesmo, do outro e do mundo. 

Tornar possível essa realidade, mediante orientação e vivencias do dia-a-adia em sala de aula, ser menos professora e mais educadora, e sim um profissional que só os conteúdos não são o bastante, mais sim o de transmitir, ideias e informações que contribuam para um ser social critico. 

Bem, é necessario deixar claro que ao longo desta caminhada, existem erros e acertos, mas é nisso que o professor deve sempre ter a sensibilidade de perceber, deve sempre reavaliar as suas condutas de forma a minimizar distorções e contribuir, de fato, em seu papel de educador para um avançar no desenvolvimento e formaçao plena dos educandos. Abrindo , desta forma, possibilidades para que sejam capazes de uma direção melhor de suas vivencias cotidianas, fazendo o TODO, aconteçer.

    3.0  APRESENTAÇÃO DOS TRABALHOS DESENVOLVIDOS (OBSERVAÇÃO E APLICAÇÃO DO PROJETO)

A intervenção foi feita no período noturno, durante uma semana, dias  09 a 16 de abril de 2012. Conforme combinado a coordenadora nos passou os conteúdos com os quais estava trabalhando; Português e Matemática. Pois ela estava ocupando o lugar da professora que devido a problemas de saúde não pode ficar em sala de aula, enquanto a Secult enviava a professora regente (a estagiária). Durante esse período, houve também a interação com professora de música.

As 18h30min os alunos começam a chegam na escola, são recebidos com respeito pelo porteiro e logo após pela merendeira que pergunta se querem lanchar,  depois dirigi - se a sala de aula, onde encontram a professora regente.

Ao chegar à sala de aula, os jovens e adultos já estavam nos esperando. Pois, a coordenadora havia lhes avisado com antecedência, da nossa presença e permanência nas aulas durante aquela semana. Confesso que a primeira vez frente à turma- ficamos um pouco sem saber por onde começar (nervoso).  Mas, logo superamos pela vontade de ajudar aquela turma e passar alguns conhecimentos às alunos, que a essa altura, prestavam atenção em todos os nossos movimentos. Ou seja, a nossa postura, (comportamento), estava sendo cuidadosamente analisado pelos alunos.

A prática em sala de aula nos leva a refletir como será nosso dia-a-dia sendo professor. Enquanto estamos estudando apenas as teorias, não temos ideia do que é estar frente a uma classe com 15 ou 18 alunos. Onde cada uma desses educandos tem sua peculiaridade. Ou, cada indivíduo aprende de um jeito, e o professor deve estar preparado e atento, sempre refletindo sobre sua prática educativa.

4.1 RELAÇÃO PROFESSOR X ALUNO

O relacionamento da professora e de dedicação e prazer no que faz se mandem sempre tranquila, atenciosa com todos os alunos, durante as aulas mantém o mesmo tom de voz e quando é preciso, no surgimento de algo inconveniente, ela chama dos alunos. Durante a aplicação da aula, ela faz com que todos participem mesmos aqueles que têm o ritmo de aprendizagem diferente.

A relaçao entre os alunos e de respeito e de uma convivencia pacifica em sala de aula, salvo uns ou outros momentos em que existem “discursões” por algo, como em querer falar, mas o que é natural do ser humano .A professora consegue manter uma boa relaçao ao lidar com estas situaçoes quando elas ocorrem, trazendo os educandos a uma reflexão nas suas atitudes tomadas.

4.2  RELAÇÃO ALUNO X ALUNO
 
Os alunos são comunicativos, alegres, participativos uns com os outros.
Durante o desenvolvimento dos trabalhos alguns são tranquilos e outros são mais  agitados, e alguns disperso quanto à proposta da tarefa.  No mais a afinidade entre todos é muito saudável e prazerosa. 

4.3  PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS

A professora desenvolve um procedimento em que os conteúdos trabalhados sejam de forma interdisciplinar, contextualizando com a realidade sócio-cultural da turma apreciando também a cultura local, são realizadas atividades em que essa aprendizagem seja significativa para os alunos. 

O  livro didatico é usado por alguns alunos, o uso do caderno e frequente e atividade xerografada. A professora Catia trabalha numa abordagem progressista, sempre trazendo os temas abordados relacionando-os ao cotidiano do aluno, as sua vivências.As atividades são diferenciadas, pois existe três grupos diferenciados de alunos.

 
5.0 APLICAÇÃO DO PROJETO

A aplicação do projeto Leitura e Escrita começou no dia 18 de abril, com previsão para acabar no dia 18 de maio de 2012. A professora regente deu continuação a sua rotina, dividimos a turma em três grupos para ajudá-la, então pudemos trabalhar com seis alunos que têm dificuldades parecidas.

O projeto recebeu o nome de “PROJETO LEITURA E ESCRITA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS”, que tem como objetivo explicar a importância da leitura para fortalecimento da cidadania.

As aulas foram de acordo com a realidade de cada um as parlendas e trava-lingua lidos em sala de aula, os alunos a maioria já conhecia, com isso trabalhamos com silabas, letras e escrita.

Sempre antes de começar as aulas perguntamos como foi o dia deles, para saber como estavam. Muitos informaram que trabalharam e o descanso foi pouco, pois tinham que botar alimento na mesa. O conteúdo  e passado de acordo com plano de aula. 

Trabalhamos também com palavras chaves. Os alunos participaram de forma prazerosa. Depois, trabalhamos com leitura e memorização com parlendas. A leitura é sempre coletiva, pois eles não são alfabetizados. O maior desafio é os fazer conhecerem as letras e sílabas. Em termo de frequência, a turma é assídua, mostraram que estão dispostos a aprender e a sala está sempre cheia.
Sentimos uma grande melhora na turma, pois nós sabemos das dificuldades de cada um. Recebemos todas as quintas a visita da funcionaria da Secult, fomos ao circo Tihany, os alunos só falavam nesse passeio que foi maravilhoso.
Para comemoração dos dias das mães, treinamos a música “Fico assim sem você”, todos os dias antes de começar a aula, foram realizados junto com os alunos dois cartazes em homenagem ao dia das mães. No dia da festa eles deram um show. Em anexo no DIÁRIO DE BORDO -SEJA


APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS

O Estágio na Educação de Jovens e Adultos foi prazeroso. Amei o resultado. No geral a turma é excelente, atenciosos, interessados e carinhosos meu desejo era de continuar com eles. Acredito que eu os conquistei assim como eles a mim.
Em nossa rotina sempre valorizava a escola, o meu estágio o porquê que eu estava lá, o saber, que o conhecimento pode mudar a nossa vida e a escola contribui para isso e eles ficavam muito atentos, e eu simplesmente adorava conversar com eles responder suas dúvidas e inquietação foi muito gratificante, cada momento com eles.
Todas as etapas do estagio foi muito significante para mim, não sei escolher que foi melhor foi uma experiência incrível.


CONSIDERAÇÕES

O estagio é um momento em que possamos verificar e obter a veracidade dos aspectos teóricos e práticos. Para mim foi um período de concretização, de elos, de reflexão, para entender a dinâmica de uma sala de aula, ponderar, ouvir, controlar as nossas emoções, porque em alguns momentos temos que ter esse controle, por não ser fácil, controlar uma sala com 18 alunos.
Reafirmo, foi uma experiência maravilhosa. Quanto ao meu aprendizado está sendo enorme, mesmo saindo algumas vezes, muito cansada, com tensão muscular forte, esgotada, devido à correria do trabalho e escola. Tenho  clara certeza que meus objetivos pessoais foram alcançados, me doei, me entreguei sem medo, estava muito feliz, sinto hoje orgulho de mim por isso, pois na balança houve mais acertos que erros e, sobretudo as dificuldades não foram obstáculos para a realização do estágio.

 REFERÊNCIAS

BRASIL, Ministério da Educação e Desporto Secretaria da Educação Fundamental – Referencial curricular nacional para educação infantil, Brasília, MEC/SEF, 1998, Vol I
GADOTTI, Moacir. Educação de jovens e adultos: teórica e proposta-10.ed. São Paulo: Cortez.2008.
Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Disponivel em: portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/ldb.pdf Acesso em 12.04.2012

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário